Criando um SQL Database com HyperScale

4 de maio de 2021 Off Por Rodrigo Crespi e Tiago Crespi

Dando continuidade ao post sobre HyperScale, neste post vamos mostrar como criar um SQL Database com HyperScale.

Os primeiros passos para criar um SQL Database com HyperScale, são os mesmos para criar um SQL Database em qualquer outro tier.

Devemos escolher no marketplace o SQL Database:

Depois de escolher a Assinatura, o Resource Group, o nome do servidor e o nome do Banco SQL:

Server:
Caso não tenha o servidor do Azure SQL Database, devemos criar um novo, é só clicar no link “Criar novo”, abrirá uma nova área conforme a imagem abaixo:

Na sessão “Computação + Armazenamento” é onde as configurações diferenciam em relação aos outros tiers:

Quando clicamos em “Configurar bancos de dados”, a guia abre no item Uso Geral, assime alteraremos para Hiperescale, ou em português Hiperscala.

Assim percebe-se que praticamente todas as opções irão ser modificadas, inclusive a configuração só será possível em VCore. É importante perceber que na tela haverá um aviso alertando que não é possível voltar a um tier abaixo do Hyperscale.

Na sequência haverão as opções de configuração de réplicas e claro, o valor mensal que diga-se de passagem, é bem superior em comparação com o tier de “Uso Geral”.

Nos outros tiers a capacidade computacional e o armazenamento são atrelados ao tier, no HyperScale é diferente, escolhemos o HyperScale e depois ainda podemos refinar escolhendo a capacidade computacional e armazenamento.

Ao aplicar essas configurações ainda é necessário definir outras opções como, como por exemplo: se faz parte de um pool do Azure SQL Database, opções de rede, tags, etc. Ao concluir o deploy será possível ver que além do servidor, foi criado também um storage account, e ao acessar esse storage encontraremos um container onde será armazenado os logs do Hyperscale. No mais, o restante é idêntico a qualquer outro tier do Azure SQL Database e pode ser administrado pela sua ferramenta favorita.

Ainda é importante destacar que existe o Hyperscale para o Azure SQL Database for PostgreSQL, mas que até o momento da publicação deste post está em prévia.

Desejamos que este post tenha auxiliado a compreender melhor como funciona o hyperscale do Azure SQL Database, se você ficou com dúvidas se o Hyperscale é o melhor modelo para o seu projeto entre em contato com a CrespiDB nossos consultores poderão auxiliar.

Até o próximo post!